SUA OBRA É UM TIME DE FUTEBOL?

 

Para algumas situações de nosso cotidiano, gosto de fazer analogias com um time de futebol, pois se encaixam perfeitamente. Uma delas é quando você vai construir ou reformar.

Ainda existe um desconhecimento sobre a importância de um bom gerenciamento de obras. A grande maioria das pessoas ignora isso e, depois, depara-se com situações desagradáveis, que envolve desde patologias construtivas até manutenções excessivas, que poderiam ter sido evitadas se houvesse nesse caminho um bom gestor para sua obra.

Fazendo uma analogia com um time de futebol, digamos que seria a mesma coisa que o presidente de um clube (nesse caso, o proprietário da obra) iniciasse o campeonato sem a contratação do treinador, ignorando sua importância. “Vamos economizar”.

O então presidente contrata os jogadores, aqueles que ele já ouviu falar, outros que foram recomendados. Reúne todo mundo e diz: “pessoal, eu confio em todos vocês, vamos iniciar o campeonato e, ao final, juntos venceremos”.

Pode funcionar? Sim, mas a probabilidade é bem pequena. Afinal, o treinador (em tese) é uma pessoa competente, que conhece as deficiências do time, que conhece os melhores jogadores que se encaixam dentro do orçamento do clube. Irá contratar os melhores profissionais para preparação física, fisiologista, nutricionista etc. Irá treinar o time, analisar suas deficiências, corrigir as falhas, fazer o planejamento do campeonato, etc etc.

Numa obra, normalmente ocorre a mesma coisa. O proprietário contrata um empreiteiro recomendado por um amigo, que tenha feito alguns bons trabalhos e entende que esse seja o caminho. Depois contrata o eletricista, o encanador, o pintor, o marceneiro etc, que terão interferência direta no resultado da obra, sem qualquer integração entre as atividades. Mas quem fez o planejamento das atividades?  Quem irá treinar e corrigir os profissionais? Quem irá fazer a interface do projeto com a execução e analisar, antecipadamente, possíveis problemas e tomar medidas preventivas para corrigi-los? Quem elaborará o cronograma físico-financeiro das atividades? Quem irá controlar a qualidade dos materiais e dos serviços? Quem irá cuidar da segurança e bem-estar dos trabalhadores? Quem irá fazer o trabalho de Suprimentos e Logística, adequando-os à necessidade do seu cliente?

Os primeiros reflexos são sentidos já durante a obra: desperdício de materiais, retrabalhos, serviços mal feitos, acidentes na obra etc.

Esse desconhecimento normalmente causa prejuízos ao proprietário que, num primeiro momento, acha desnecessário ter um profissional para fazer essa atividade em sua obra. Mas a conta vem depois e, na maioria das vezes, muito mais ‘indigesta’. Pense nisso!

 

Eng. Oswaldo Bongagna Jr.

Proprietário da Futura Engenharia Piracicaba