A IMPRESSORA 3D NA CONSTRUÇÃO CIVIL

 

As impressoras 3D estarão presentes na Construção Civil, graças ao Dr. Khoshnevis, criador da Contour Crafting (CC), uma espécie de impressora 3D de grande escala, responsável pela automatização parcial da construção de paredes, lajes, vigas, pilares, e outros elementos de uma edificação.
 
De maneira similar a uma impressora 3D tradicional, a Contour Crafting faz seu trabalho por camadas, sempre de baixo para cima. O material inicial utilizado foi o cimento, mas atualmente é possível fazer um reforço deste com fibras de aço, ou até utilizar outras matrizes, como polímeros enriquecidos com diversos tipos de fibras.
 
O sistema de posicionamento é robótico, e controlado por computador. Assim, é possível fazer colocação automática de armadura de aço, posicionar peças pré-fabricadas e fazer acabamentos através de programações a distância.
 
Outra vantagem do novo sistema, é a existência de múltiplos reservatórios de matéria-prima, proporcionando a troca de material durante a construção, sem que fluxo da obra tenha que ser interrompido para troca de peças, como bicos injetores. É possível, por exemplo, alternar entre gesso, para acabamentos, e cimento, para a construção das paredes.
 
A empresa chinesa WinSun provou que tudo isso não só parece bonito, como também funciona muito bem. Ela inovou ao construir, na China, o primeiro prédio do mundo feito inteiramente em uma impressora 3D. O prédio residencial tem 5 andares e elementos decorativos externa e internamente.
 
A empresa já construiu casas com impressoras 3D, mas o prédio impôs novos desafios. Uma nova impressora, de proporções maiores, foi feita sob encomenda pela também chinesa Ma Yihe.
 
As inovações também vieram nos materiais utilizados na construção. O cimento, por exemplo, continha uma massa reciclada de vidro, solo e resíduos de outras construções. 
 
Com o método utilizado, a montagem foi cerca de 70% mais rápida que uma obra convencional.
 
Fonte: Incopre